Entre os dias 1º e 06 de julho, a equipe do “Círculos de Leitura”  e do IDES, dando continuidade ao  projeto “Hospedar a cultura, ouvindo e contando histórias”, percorreram localidades do Baixo Sul da Bahia.

O projeto tem como objetivo preparar os moradores para as mudanças trazidas com o turismo, resgatando e reforçando a identidade coletiva e os valores culturais e tradicionais das comunidades.

Pela equipe do IDES participaram: Liliana Leite, Renata, Anderson, Francisco, Marina, Ricardo e Robson; pelo Círculos de Leitura: Catalina Pagés, Cidinha Lamas e os multiplicadores do Ceará: Lindemberg Vidal e Hiago Feitosa.

circulos_bahia_2_17072013

Círculos de Leitura na comunidade quilombola Jatimane

A participação dos jovens do Ceará foi muito significativa, e representou um passo importante no intercâmbio que o Círculos de Leitura deseja promover, integrando jovens de várias partes do Brasil que têm em comum a disposição de compartilhar o conhecimento.

Quatro comunidades foram visitadas pela equipe: Cova da Onça, Comunidade Quilombola do Jatimane, Igrapiúna e Maraú.

A perfeita integração entre os multiplicadores cearenses e os jovens da Bahia revelou, mais uma vez, o quão efetivo é o diálogo que se estabelece entre os jovens, quando estes se reúnem para discutir suas inquietações. E esse diálogo encontra nos clássicos apresentados pelo Círculos de Leitura o mediador ideal.

Entre as obras trabalhadas, estão: “O Pintor, a Cidade e o Mar”, de Monika Feth ;  “Telemaquia, da Odisséia” de Homero; “No Aconchego do Turbante” de Marina Colassanti.; “A Cidade dos Cinco Cipestres” de Marina Colassanti; “Kouros”, de Nikos Kazantzakis; “O Espelho” de Machado de Assis; “A Arte de Cativar”, do livro “O Pequeno Príncipe” de Antoine de Saint Exupèry.

Durante as visitas observamos que as comunidades estão bastante preocupadas com a questão da manutenção da memória e a preservação das manifestações culturais, mostrando-se bastante receptivas à proposta de ter o projeto “Hospedar a Cultura, Ouvindo e Contando Histórias”, como um parceiro na preservação cultural.

circulos_bahia_17072013

Adultos, jovens e crianças da comunidade Cova da Onça reunidos para ouvir e contar histórias.

Na comunidade de Cova da Onça houve um momento emocionante de integração, quando o Sr. Raimundo, morador da ilha, motivado pelas leituras e discussões, escreveu uma poesia muito bonita sobre o seu amor pelo lugar. A poesia foi lida várias vezes, marcando simbolicamente um laço entre a comunidade e a equipe do projeto. Podemos dizer que o Sr. Raimundo Siri foi o porta voz dos inúmeros talentos existentes na localidade, que emergem e sentem-se orgulhosos em apresentar aos visitantes a beleza da cultura local.

Apresentamos abaixo a poesia escrita pelo Sr. Raimundo Siri:

Minha Cova da Onça

Amo-te ao som dos ventos,
lentos,
tépidos…

Meu corpo atento,
se rende à tua História,
à tua sabedoria viva.

Nas tuas veredas me abandono,
me deleito,
me reconheço.

Tua beleza é única,
atrai o estranho,
que me acalma.
Nessa calma lembro,
a poesia que está em mim.

O mar que toca suavemente a praia,
reflete a magia do teu povo,
e nele me encontro.

Nos teus Campos resplandece a paz
na cor transparente do tempo.
Ó tempo!
Me dá mais tempo para amar.

Para amar
ao som dos ventos,
lentos,
tépidos…

Tags: