Grupos Pequenos e Interativos

Uma equipe multidisciplinar de educadores pagos e de voluntários se divide para trabalhar de forma interativa com grupos de 10 a 15 jovens. Grupos pequenos oferecem melhores condições para o jovem dialogar e formar vínculos com outros alunos e professores. Cada aluno recebe seu próprio livro, no qual pode fazer anotações e grifar as partes mais importantes. Em pequenos círculos, participantes se alternam lendo em voz alta, fazendo pausas para discutir sobre o significado dos trechos lidos, desenvolvendo, assim, habilidades de reflexão e argumentação.

 

Temas Universais e Clássicos da Literatura

Trabalhamos com obras literárias que abordam temas universais, com os quais o jovem pode se identificar, ampliando seu repertório cultural e relacionando suas experiências com histórias que sobrevivem ao tempo. Os clássicos são atemporais, questionam a ordem cronológica e encerram o verdadeiro espírito da humanidade. Entre as obras utilizadas, encontram-se “A Odisseia”, de Homero, “A Trilogia Tebana”, de Sófocles, “Romeu e Julieta”, de William Shakespeare, “O Banquete”, de Platão, “Robinson Crusoé”, de Daniel Defoe, “Vidas Secas”, de Graciliano Ramos, “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa, “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Caroll, “O Velho e O Mar”, de Ernest Hemingway, “O Mágico de Oz”, de Frank Baum, “O Pequeno Príncipe” de Antoine de Saint-Exupéry, “Fernão Capelo Gaivota”, de Richard Bach, e contos selecionados de autores como Machado de Assis, Clarice Lispector e Gabriel García Márquez.

 

Leitura em Voz Alta e em Grupo

Para adquirir capacidade cognitiva, os alunos necessitam de instrução efetiva em cinco áreas: fonêmica, fonética, fluência, vocabulário e compreensão do texto. Em pequenos círculos, os participantes alternam-se, lendo em voz alta e parando periodicamente para discutir o significado dos trechos lidos. Desenvolvemos assim a linguagem oral e a habilidade de reflexão e argumentação a partir das obras e conhecimentos adquiridos.

 

Escrita

A escrita constitui parte fundamental do método: é nesse momento que os participantes se apropriam individualmente da herança coletiva que acessaram no grupo. Textos desenvolvidos durante as sessões do Círculo são utilizados para acompanhar o progresso de cada aluno e do grupo. Ao final de cada encontro, os participantes trazem poemas e textos encontrados ou escritos por eles.

 

Participação Voluntária

Educadores trabalham para despertar a curiosidade do jovem e seu encantamento com a leitura e a vivência em grupo, desenvolvendo incentivos para sua permanência no programa. A participação voluntária do jovem é peça-chave na construção de sua cidadania e sua contribuição na melhoria do ambiente escolar.

 

Atividades Culturais

A crença no poder transformador da arte nos leva a apoiar outras formas de expressão artística além da literatura, como as artes plásticas, audiovisuais e cênicas. Ao criar sua obra, o artista mergulha nas camadas mais profundas da psique humana, naquele espaço que o psiquiatra suíço Carl Jung chama de “inconsciente coletivo”, em que tudo é de todos.

Empenhados e comprometidos com o mistério e com o devir humano – conceito filosófico que qualifica a mudança constante e a perenidade de algo ou alguém – os artistas participam deste repertório que, como diz Jung, “transcende todas as diferenças de cultura e de atitudes conscientes.” A partir da transcendência, a arte nos dá passagem para uma vida mais livre dos condicionamentos e conformismos.

Por isso, levamos o maior número possível de jovens multiplicadores e demais participantes dos Círculos a conhecer museus e outros espaços públicos artísticos. Entre nossas instituições parceiras estão o cinema Reserva Cultural, o Museu da FAAP e o Palácio do Horto.